Lucas, Oscar, Ademilson e outras jóias do São Paulo formadas na base Tricolor

ImagemImagemImagemImagem

Por Charley Gima

O trabalho de base e preparação de novos atletas, realizada pelo São Paulo Futebol Clube é de dar inveja a qualquer time do mundo!

Com um CT (Centro de Treinamento) próprio, localizado na cidade de Cotia, na Grande São Paulo, o clube investe nas novas promessas do futebol brasileiro e promove as futuras revelações ao time principal. Isso aconteceu recentemente com Lucas, Oscar, Casemiro, Rodrigo Caio e até Kaká.

O Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natel, também conhecido como CFA de Cotia, CT de Cotia ou ainda simplesmente como CFA, oferece uma infraestrutura de primeiro mundo para a formação das categorias de base do São Paulo que incluem o infantil, juvenil e júnior (sub-15, sub-17 e sub-20). Para isso conta com uma área total de 220 mil metros quadrados e é rodeado de sítios e chácaras para manter a tranquilidade e a concentração dos jovens que lá estão.

Renê Simões foi contratado para ser Diretor-Técnico das categorias de base do Tricolor, com uma cláusula exclusiva para não comandar o time titular, justamente para se concentrar somente na base e oferecer o que há de melhor para as jovens revelações.

E o São Paulo colhe bons frutos deste investimento! Além dos nomes já citados, o São Pulo lançou também no time profissional os jogadores, Wellington, William José, Bruno Uvni (que faz parte da Seleção Brasileira Olímpica), Zé Vitor, que está no Slovan Brastilava e Henrique, que foi vendido ao Granada da Espanha.

Em 2007 o São Paulo vendeu o zagueiro Breno para o  Bayern de Munique por R$ 33,7 milhões, valor considerável para um zagueiro, mesmo nos dias de hoje! A venda de Kaká do Milan para o Real Madrid rendeu ao São Paulo pouco mais de R$7 milhões, pois a lei estipula em 4% do valor de venda para o clube formador do jogador, no caso, o São Paulo. Kaká já havia rendido ao São Paulo R$17 milhões em 2003, ano em que foi vendido ao Milan. Ou seja, Kaká sozinho já rendeu R$24 milhões e pode render um pouco mais caso o jogador seja negociado novamente. Oscar foi vendido ao Internacional de Porto Alegre por R$15 milhões, após uma longa briga judicial envolvendo o São Paulo, o jogador e o Inter de Porto Alegre.

Lucas está sendo negociado com o Paris Saint Germain e, se a transação for concretizada, pode render aos cofres do São Paulo pouco mais de R$30 milhões de Euros, já que o valor de venda de Lucas é de cerca de 40 milhões de Euros. Por contrato, o atleta tem direito a pelo menos 20% deste valor, dependendo de quando a venda for feita. Se tiver sido feito após 31/07/2012, o jogador recebe mais 10%, ficando com um total de 30% do valor de venda, deixando o São Paulo com “apenas” 70%.

A nova promessa Tricolor atende pelo nome de Ademilson, que está substituindo bem o lesionado Luís Fabiano. Lembrando que, na ausência do Fabuloso, a dupla de ataque é formada por dois jogadores da base do Tricolor, já que o companheiro de Ademilson é William José.

É certo que se bem administrado é possível formar jogadores, ganhar títulos e muito dinheiro na venda dos atletas. O Tricolor Paulista sabe bem fazer isto!

A pergunta que fica no ar agora é: por quanto tempo mais estes jogadores de hoje ficarão no São Paulo?

Este post tem 0 comentários

  1. Um trabalho exemplar…
    Gostaria q o Palmeiras também realizasse um trabalho assim, e não focado apenas em revelar goleiros… Vi os últimos passos das categorias de base do verdão e parece que eles viram o que o São Paulo está fazendo e ganhando… Espero q dê certo.

  2. O dinheiro é a oitava maravilha do mundo e é ele que faz o planeta girar. Penso que o São Paulo criou esta base exatamente para isso, para poder revelar e vender jogadores.

  3. William José não foi formado no São Paulo, ele foi comprado do Grêmio Barueri e o Henrique etá jogando pelo Sport de Recife.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *