Parabéns Palmeiras, Decacampeão brasileiro

Palmeiras -decacampeão -brasileiro -FuteRock-2018

Por Murillo Leite/FuteRock

Deca…quatro letras que simbolizam a supremacia de um clube que começou o campeonato brasileiro de 2018 como um dos postulantes ao título, mas cuja campanha até a rodada 15ª rodada oscilava no comando de Roger Machado. Era visível que alguns jogadores importantesestavam por ora desmotivados, a torcida extremamente apreensiva e a diretoria um tanto quanto desconfiada com relação ao rumo do que muitos acreditavam ser o melhor plantel pós 2014, ano de centenário do clube.

Após uma derrota frustrante contra o Fluminense na capital carioca, a diretoria alviverde resolve demitir Roger e promover segundo retorno de Luis Felipe Scolari ao clube. Se na primeira vez sob seu comando o Palmeiras levantou títulos importantes como Copa do Brasil, Libertadores e Mercosul, a segunda passagem já não foi tão prolífica e trouxe uma surpreendente Copa do Brasil de 2012, tão desconcertante quanto ao rebaixamento no mesmo ano. Mesmo que Felipão já não estivesse no comando da equipe há de se dar crédito a ele pelo pífio desempenho após a conquista nacional.

Para contribuir com o período repleto de incertezas, apesar de as campanhas nas copas do Brasil e Libertadores estarem indo de vento em popa, Felipão era o mesmo treinador símbolo da maior tragédia que o futebol brasileiro pôde vivenciar, os 7×1 no Mineirão da copa de 2014. É fato que ele estava sendo extremamente vitorioso em terras chinesas, mas para nós palmeirenses, era um nítido de ponto de interrogação envolto em uma esperança quase que surreal.

Como é bom quando nos surpreendemos nesses tipos de situações! Aos poucos, o “ultrapassado” comandante foi acertando o time, iniciando os ajustes pelo setor defensivo e posteriormente injetando confiança nos jogadores do meio-campo e atacantes. Nomes contestados nas arquibancadas como por exemplo Deyverson passaram a figurar como verdadeiros talismãs em jogos relevantes, e o fato de, com todo o mérito de Felipão e seu auxiliar Paulo Turra,  montar dois times e colocar todo o elenco, a esta altura visivelmente motivado pela nova filosofia, para atuar nas então três competições que estava disputando fez com que a cada rodada o time fosse adquirindo a consistência necessária para galgar do longínquo sexto lugar para a primeira posição, conquistada na 27ª rodada, em 30 de setembro no Pacaembu ante ao Cruzeiro.

Daí em diante, o time foi pressionado pelos rivais diretos na tabela, São Paulo, Flamengo e Internacional, e suportou a aproximação dos concorrentes com uma campanha beirando a perfeição, chegando, até o jogo da conquista em São Januário em 25/11/2018, a 22 vitórias, 11 empates e apenas 4 derrotas, batendo inclusive o recorde de invencibilidade do maior rival, o Corinthians campeão brasileiro de 2017, com 22 jogos invictos, podendo aumentar a 23 na última rodada do certame, contra o já rebaixado Vitória no Allianz Parque.

Melhor ataque, melhor defesa, maior número de vitórias e menor de derrotas, melhor desempenho como mandante e visitante, líder de arrecadação e ocupação do estádio, todos estes quesitos tornam esta conquista memorável e irrefutável, uma mostra de que um clube com gestão equilibrada e contas saneadas, aliado a um comando técnico que soube administrar jogadores com egos e talentos de forma primorosa só poderia resultar em mais uma conquista do maior clube brasileiro!

Obrigado, Sociedade Esportiva Palmeiras, muito orgulho de torcer e amar um clube desta magnitude!

Que venham as próximas conquistas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *