Iron Maiden agita São Paulo com mega show da turnê Legacy Of The Beast

Por Charley Gima/FuteRock
Fotos Evanil Jr.

No último domingo (06) o Morumbi tremeu ao som do Iron Maiden, que trouxe para São Paulo o mega show da turnê “Legacy Of The Beast“, que como o nome diz, faz um apanhado geral da carreira da Donzela de Ferro.

O Iron Maiden tem em São Paulo uma verdadeira legião de fãs, fazendo da cidade parada obrigatória para toda tour da banda, tocando sempre em um estádio cheio! Desta vez o Morumbi foi o estádio escolhido, muito por conta da sua capacidade, e a escolha mostrou-se acertada, pois 65 mil fãs do Iron Maiden compareceram para cantar e se divertir com Steve Harris (b), Bruce Dickinson (v), Nicko McBrain (d) e os três guitarristas Dave Murray, Adrian Smith e Janick Geers, que mandaram duas horas de hits para o delírio dos maiden maníacos.

Antes do show começar conseguimos bater um papo com Aquiles Priester no backstage e encontramos também o baterista do iron Maiden Nicko McBrain, que conversou com alguns fãs e recebeu de presente um boné da ROCAM (batalhão de motociclistas da Polícia Militar do Estado de São Paulo), que fez questão de usar no show! Em breve publicaremos a entrevista com Aquiles e cenas do backstage do show do Iron Maiden no FuteRock TV, fique ligado!

Bruce entrou no palco vestido como um piloto da época e cantou a música com muita maestria, sem deixar a desejar, bem diferente do que ocorreu com outras bandas que passaram recentemente por São Paulo.

A primeira música do show foi “Aces High” com uma réplica de um caça inglês da Segunda Guerra Mundial “voando” sobre a cabeça dos músicos. Um começo arrasador! Confesso que esta parte do show era uma das que eu mais esperava!

Vieram então “Where Eagles Dare“, com Bruce vestido como um combatente na neve e “The Clansman“, uma ode à liberdade, onde Bruce, empunhando uma espada, relembra seus tempos de esgrimista e chega a duelar com a mascote Eddie, que, no final de “The Trooper“, “leva um tiro” de uma espingarda com a bandeira do Brasil.

O vocalista começa então a conversar com os fãs, e, sabendo da rixa histórica entre Rio e São Paulo, provoca dizendo que tocaram na sexta no Rio de Janeiro, único momento de vaia do show, e continuou dizendo que fizeram o melhor show do Rock in Rio, recebendo aplausos, mas que fariam em São Paulo o melhor show do Brasil! Pronto, torcida ganha com louvor e let’s keep rocking!

É importante destacar o estilo old school no uso dos backdrops, que são trocados de acordo com as músicas executadas, sem precisar utilizar painéis de LED, como a maioria dos artistas fazem nos dias de hoje.

The Wickerman” foi uma boa escolha no set e da fase Blaze Bayley tivemos “Sign Of The Cross“, com muitos gestos teatrais de Bruce Dickinson, que carregava pelo palco uma enorme cruz com luzes.

Como esperado, “Fear Of The Dark” foi cantado por todos no Morumbi, com o estádio inteiro se iluminando com as luzes de celular que gravavam aquele momento. Foi legal também ver Bruce gritar “Scream for me Morumbi!, que é o nome do estádio, local do show, e não o nome da cidade ou do país em que o Iron Maiden está tocando. Em seguida manda a aclamada “The Number Of The Beast“, com o famoso refrão do 666.

A música que nunca falta veio com nova participação de Eddie: “The Iron Maiden“. Pausa para o bis e a donzela volta ao palco com “Evil That Men Do” e finalizam com as clássicas “Hallowed Be Thy Name” e “Run To The Hills“, um final apoteótico e indicutivelmente magistral!

Bruce Dickinson deixou claro que pretendem voltar mais uma vez à São Paulo dizendo que “enquanto vocês estiverem aqui, nós voltaremos a tocar até cairmos mortos na frente de vocês!”.

Vamos torcer para que voltem logo e apenas a primeira parte de suas falas se concretize!

Up the Irons!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *